quarta-feira, abril 30, 2014

As dúvidas de Ismália





Atiro-me no céu
o mar me acolhe
jamais estou bem certa
ou satisfeita.
Não sei se mate ou morra
se decorra
ofenda ou me defenda
se pesquise
atente ateste desafie indique
ou simplesmente fique
dopada e colorida
consumodeslumbrada.

7 comentários:

José Carlos Sant Anna disse...

As dúvidas de Ismália são palpáveis em nossas próprias entranhas, Dade!
Uma bela transfiguração do real.
Beijos, amiga,

Graça Pires disse...

Fique pelo mar que é tão belo que dói. O resto se verá...
Beijo, Dade.

Nilson Barcelli disse...

Magnífico poema.
Querida amiga Dade, tem uma boa semana.
Beijo.

AnaC disse...

Gostei demais do poema!
Valeu a pena ler!

Beijo pra vc

Adri Aleixo disse...

Você é maravilhosa, uma referência. Também tenho uma Ismália. Estou sentindo sua falta. Aqui e no face. Quero falar com vc. Beijo! Te adoro <3.

Maria Andrade disse...

muito bonito o seu blog.

Cris de Souza disse...

Adoro este ritmo! Imediato.