sábado, março 10, 2007

Quase



Por minhas próprias pernas
cheguei bem perto da estrela da manhã.

Traiu-me a ponte da tarde
antes da hora lançada
e revoadas de fatos sem futuro
se atravessaram entre mim e a estrela
o céu se fez escuro mineral
fanaram cedo as flores do desejo.

A viagem antiga só recomeçou
muito depois do meio do caminho
:
da estrela da manhã
nenhum sinal.

2 comentários:

douglas D. disse...

céu oco
sinal algum
tolos
resiste-nos a esperança

Betty Branco Martins disse...

Querida Adelaide

"quase" é um belíssimo poema

...)parece que pagamos os
pecados deste mundo
amarrados aos remos de um
barco que está no fundo...
quase que
...
emerge_______quase que se consegue remar

Beijinhos com muito carinho
BSemana