domingo, fevereiro 21, 2010

Veneza revisitada



A gôndola passou por minha rua
como se ainda fosse carnaval
nesse hemisfério distante de Veneza
e era antiga a canção do gondoleiro
triste sua máscara.

Achei melhor chamar um táxi.

7 comentários:

Fabio Rocha disse...

Belo final! :) Beijos

Mai disse...

Adorei, Dade. Nasci em Recife e por lá, há 'tomadas' e paisagens que lembram Veneza: Pontes, Rios, barcos, carnavais - vida e festa.
Beijos, querida, boa semana

Assis Freitas disse...

O verso final descontrói a nostalgia e produz um efeito de distanciamento. Belo. Abraço.

Anônimo disse...

Esperto poema com uma pequena rasteira no final :D

Beijos
JN

Nilson disse...

Bingo!

Claire disse...

uma delicia ler esse poema

Gerana Damulakis disse...

O final...belo.