quarta-feira, fevereiro 03, 2010

Remansos




Tanto ficou por dizer naquela tarde
uma vontade de ponte e coisas sinuosas
sem gosto de reedição ou
menções casuais não por acaso.

Conversa vista de frente nos gestos
de quem espera e precisa de
remansos.

8 comentários:

.Leonardo B. disse...

[como se fora um eco, um tempo mais que o próprio silêncio... mais importante ainda a palavra como se fosse um comboio que se escuta, distante, mas tão próximo]

um imenso abraço

Leonardo B.

Amélia disse...

Simplesmene BELO, BELO!

Samuel Pimenta disse...

Tantas vezes em que tanto fica por dizer... Tantas vezes em que as tardes são pequenas demais...
Belíssimo poema!

Samuel Pimenta.

Fabio Rocha disse...

Nossa, dade, linda a poesia e a imagem, parabéns! "remanso" é uma palavra deliciosa. Beijos

Assis Freitas disse...

É bom sentir a cadência destes versos em plena quietude. Aprazível o teu lugar, este teu canto. Abraço.

Nydia Bonetti disse...

tão raras estas conversas e tão boas. quem não precisa de remansos... lindo, dade! beijo.

José Carlos Mendes Brandão disse...

Que fotos mais lindas! Remanso, e, no poema, a sensação de nostalgia, de perda e dor.
Beijo.

Claire disse...

adorei !!!
parabens bjs