domingo, janeiro 13, 2013

Kilimanjaro

Este é um poema de domingo, com toda certeza.
De autoria de Marcelo Novaes, caro amigo de um talento excepcional.
Obrigada, Marcelo, e sempre muito sucesso!


 Do amigo Marcelo Novaes
 para a querida Dade Amorim.
 (com um toquinho 
  cheio de beijos 
  meus (imagens)
  para ambos)






Hora da visita: oito horas.
Você quer olhar tua vida com 
meus olhos, drenar o Sangue da 
Quimera e de todos os Monstros, 
esvaziar-se daquele impulso.
O que há, no fundo, é drenagem
e não mudança de curso.
[Secagem a Frio].
Precisas falar com meus quatro
eus, nas oito horas do dia, nas oito
celas de cada hora do dia, pautadas 
por meus olhos. Tirar o dedo da boca,
recolher a bituca do assoalho.
Recortar as falas dos filósofos [apenas
um punhado], enquanto te digo as coisas
que passsaram. As tuas coisas.
Tua saga cercada por livros, tantas falas:
a Calma e a Chama indissociavelmente
Juntas. Ausente a alegria de esperar por 
filhos. Outra alegria a tua: Confeccionar
Alturas de Escadas a Cada Dia, deixadas
à Sombra, na Planura.
[Silenciar ao término do Fio].
Horário da visita: oito horas.
Trazer aqueles diários, experimentar
Idiomas. Reunir cavernas, rouxinóis, bisões,
visões bifrontes [Jano à espreita], forças nas
pernas pra escalar Kilimanjaro: A Montanha 
Branca dos Masais.
[As intempéries podem ser cruéis].
Hora da visita. Mudas pelas portas
que fechas. Encontras outra palavra
à medida que, da velha, emudeces.
Não há mistério: só escolha.
Sonhos discorrem sobre as frestas
e escorrem sobre as folhas. Verdes 
sonhos: descaminhos de Ítaca, 
Assombros de Hades. 
Alguém te ouve e pensa em Ilha. 
Quem dera. Não vê quem te beijou 
a face.
Alguém vai à farmácia para ver a
atendente. Ouve, na fila, uma frase 
de Borges. São assim as filas: cheias
de lanças, tropéis, tropos e alquimias. 
Alguém vai à farmácia e pega a fila, 
sem spleen ou tédio, mas nada esplêndido. 
Da Palha ao Azul, do Azul  à Palha.
[Passiflora].
Alguém te ouve falar e se esquece
do sino, deixa de acreditar no silêncio e 
no branco definitivo do marfim. 
Divaga,  chama por alguém e pede um 
chá, abandona moedas sobre vasos de
plantas, recita os Vedas e Upanishads,
conta as cores das chamas nas manchas
solares, abre as mãos pra mostrar as
palmas.
Alguém te olha e pensa em Ilha, 
cansado de jogar, ao cão, a toalha,
cansado de medir a extensão do atelier 
de pintura,cansado de contar números na 
borda do sono, as notas rasgadas; das cólicas, 
cada fisgada.
Alguém te ouve e pensa em ilha.
Quem dera. Deixa ir a penhora,
a tradição histórica, o verde da
pupila, a cega sede sobre o 
copo de urina.
Alguém te ouve e abandona 
o sonho do traçado retilíneo. 
Não da pra carregar tanta coisa.
O segredo de largar não se acumula.
Todas as pedras se aclaram. O peso maior 
que o peso quebra a adaga em pequena
poça e afunda o vergalhão no plexo.
Não dá pra coligir tantas recusas.
Seja cada forma a última para, no
fim, deixar de ser qualquer uma.
Posted by

19 comentários:

teca disse...

É daqueles que você lê, relê e quer ler novamente... nota mil! Pura arte esta postagem...

Bom domingo aos dois! A todos!

Beijos e flores.

Assis Freitas disse...

de neve o branco se veste, o poema é uma odisseia como os píncaros, lá onde tudo é amplidão,


beijo Dade, abraço Marcelo

Marcelo Novaes disse...

Bom domingo, amiga.


Um beijo!

dade amorim disse...

Obrigada por essa lideza, Marcelo.
Beijo

Aloísio disse...

Maravilhoso poema, Dade!
Beijo e parabéns ao autor.

Ivan disse...

Coisa de gênio.
Abraço ao autor, beijo do Ivan, Dade.

Adriana Riess Karnal disse...

Marcelo é jungiano, Dade é poeta. Daí, junta-se poesia, imagens e emoções. Marcelo se fez poeta, também. Dade o interpreta. Não sei mais quem é quem nesse diálogo de ítacas e almas.Só posso dizer que fazer e receber poesia é um dom. bj aos dois queridos.

Luana disse...

De uma beleza rara, o poema.
Parabéns aos dois
bjss

dade amorim disse...

Obrigada, Teca!
Beijo grande.

dade amorim disse...

Tem razão, Assis.
Até nos comentários vc é poético.

Beijo.

dade amorim disse...

Viu, Aloísio? Um amigo de talento.

Bj bj

dade amorim disse...

Obrigada, Ivan!
Bj meu.

dade amorim disse...

Adriana, adorei o comentário.
Bj bj

dade amorim disse...

Luana, muchas gracias!
Um grande beijo.

Adri Aleixo disse...

Um espetáculo grandioso...
Dade flor boneca, beijo!

R. Vieira disse...

Uma beleza de presente hein Dade!

Estou encantada!!!
Relendo!!

<3

dade amorim disse...

Querida R. Vieira, eu também fiquei encantada.
Beijos.

dade amorim disse...

Adri querida, um presentão, como se diz.
Beijos muitos.

Nilson Barcelli disse...

Magnífico post.
Gostei do poema do Marcelo.
Um beijo, querida amiga.