segunda-feira, janeiro 28, 2008

Impiedade

O silêncio do espelho
é o que resta
– a natureza morta
as folhas quietas.

Não haverá resposta
e sem palavras
procura o espaço exato
de uma prece.

Nada resiste ao horizonte.

Somente a inquietação
espera alguma voz
menos árdua que o vento.

Um comentário:

(l' excessive) disse...

Oi, querida poeta!
Tenho uma foto para esta postagem.
Mande seu e-mail pra beth.kasper@gmail que eu te mando.
Qto. à boneca, chama-se Eduarda e é minha sobrinha-neta.
Babando é pouco prá ilustrar minha corujice...
Beijão pra você