quarta-feira, janeiro 23, 2008

Lua e tempo



Pela cidade
trechos de ruas quietas denunciam
passos do tempo.

Sobre os telhados
impregnada de velhice
a lua contemporiza .

3 comentários:

Lunna Montez'zinny disse...

Adorei o poema minha cara, bem que poderia enviar-me para postar lá no Coletânea. Uma perfeita janela aberta para a cidade.
Abraços meus

Mel disse...

Que bom que estás de volta!
Seja bem-vinda!
Beijo

héber sales disse...

eu quando vejo a cidade do alto e de longe, panorâmica, fico pensando na ciranda da vida que suas ruas assistem, por gerações. sabe aquela música de que nós gostamos, do chico, a "futuros amantes"? eu fico naquele diapasão. um beijo, querida.