segunda-feira, janeiro 14, 2008

Nômade

Perdeu-se em horizontes
no mar
pelas salinas
e nas pegadas desfeitas pelo vento.
Dessas areias quentes
de sua vida nômade
só restarão as pegadas
e os poentes.

5 comentários:

héber sales disse...

é mesmo, a gente não devia morrer,
devia virar poente.
um beijo.
ps: adorei dividir o espaço da ana contigo.

héber sales disse...

você é danada mesmo. sabe que eu ia aquele poeminha de "civilizadamente"?

pode deletar este comentário depois.
só te respondi aqui porque ainda não tenho teu e-mail(!). me manda?: hebersales@gmail.com

um beijo

Mel disse...

E me vi numa praia... Lindo, lindo!

hfm disse...

Que beleza!

Saramar disse...

E não somos assim? Areia, só areia...

beijos
P.S. Sempre fico inspirada quando venho ler aqui.