sexta-feira, abril 18, 2008

Quadro



Estou pensando num quadro
nuvens de filó-colméia
voile pura luz tecida.

Um quadro além da moldura
e as cortinas desbordando
sem nunca pensar no fim.


Um comentário:

Walter C. Moura disse...

Leveza e lirismo neste poema-tela, Adelaide.
Sopra uma brisa quando o lemos.