segunda-feira, maio 05, 2008

Andante



O horizonte cresce nos limites
o vento quebra os passos
e o mar se apressa.

Dentro da concha
o andante se transforma num alegro.

2 comentários:

(l' excessive) disse...

Liiindo Adelaide!
bj procê!

Analuka disse...

Lindíssimo, tanto o poema quanto a imagem!... Adoro voejar e pousar por aqui, Adelaide. Dia desses, será que posso publicar mais um poema teu lá no Ânkoras & Asas? ABraços alados, querida.