segunda-feira, janeiro 13, 2014

Iluminações





Há uma rachadura em todas as coisas.
É por ela que a luz entra.
                                    Leonard Cohen




A luz de dentro dos olhos
vem do ar que se respira.

Tudo que existe
até os pensamentos mais soturnos
sobrevive da luz que aspira
– um toque do pintor em rua escura
os vagalumes fugindo e renascendo
à luz do vento.

Vem pelas veias do céu
em anos-luz de linhas desmedidas
tecendo teias.
Procura pedras da terra
vestes rasgadas
na guerra os corpos feridos.
A luz é do que corrompe ou regenera
não salva – só ilumina
não planta
germina e cresce.

Tudo que brilha é desdobramento
e é o sangue a luz do corpo.

4 comentários:

Adri Aleixo disse...

Perfeito, Dade!

José Carlos Sant Anna disse...

Que houve? Replicou, duplicou, treplicou a postagem. Foi intencional?
De todo modo, é um poema tão bem construído, nos ilumina tanto que não há razão para duvidar que tenha sido intencional a triplicação da postagem.
Beijos, Dade!

Ira Buscacio disse...

falas de luz como tão bem a escuridão conhece e também os poetas, das terras apagadas, atingidos pelos clarões.

sou mt fã da sua poesia e repetitiva

bj grande, Dade queridona

Nilson Barcelli disse...

Luz é vida...
Excelente poema, cheio de talento poético. Gostei imenso.
Minha amiga Dade, tem um bom resto de semana.
Beijos.