sábado, março 29, 2008

Novas loas


Foto Dade Amorim.

Estrelas-guias do acaso
pousaram na janela.

Perdido o rumo
o pasto
o prumo de dois gumes
pessoais pronomes cantam
novas loas
tapumes bebem ruas
e o céu pendura sua lasca de lua.

3 comentários:

Lunna Montez'zinny disse...

Bom dia Adelaide, a semana começa com sol e céu azul. Os pássaros fazem festa na jabuticabeira, bem do lado de fora de minha janela e o cão rola na grama verde...
Estou cá me preparando para o sono dos Deuses - porque a noite, definitivamente, pra mim, não foi feita pra dormir.
E ao ler seus poemas (uma sequência que eu ainda não tinha lido) me encantei com os dizeres

o trigo a uva e as rosas
invadem as campinas
e a frase menos límpida
ainda busca o alento da manhã

ouve as palavras do vento

Combina com a manhã que segue diante dos olhos meus. Boa semana a sua alma.

Anônimo disse...

bom demais este blog, rumo certo em horas meio perdidas
beijo, querida
ivan

Héber Sales disse...

você acredita, deda (adoro esse apelido!), que eu estou desde domingo lembrando da recorrência dos "tapumes" nestas duas poesias? um signo pouco usado mas que é uma metáfora boa mesmo nesse contexto.

sobre o outono: a luminosidade é bem legal aqui também, mas em março chove demais, e, neste ano, rolou aquela chuvinha paulista, sabe? que não pára nunca.

beijo grande.