domingo, novembro 15, 2009

Fumaça







 

Quando o medo abre a janela
e se esconde em meu armário
pego a bolsa
fecho a porta
saio pra fazer as unhas.

Sozinho em casa
o medo vira fumaça.

 

3 comentários:

tonhOliveira disse...



Gostei desta coragem...

Abraços!

Márcia disse...

Um pequeno poema imenso. Adorei, Adade. Vou roubar pro meu alfabeto, tá?

beijo!

Trovão disse...

Olá boa noite. Gostei bastante deste poema. A capacidade que tem de sintetizar uma ideia de um momento comum a muitos.
Tenho um blog em que vou colocando alguma poesia de que gosto. Acha que será possivel colocár este poema no meu blog?
Cumprimentos
Celso