sexta-feira, novembro 27, 2009

À semelhança


Diante do muro
janela sem paisagem
nem rua mar ou céu
imagina um corpo aceso
que toda tarde escorrega
no dorso do horizonte.

Janela sem estrelas
projeta o mundo no muro
e um dia
quase chegou a Deus
voando sobre as imagens
à semelhança dos homens.


3 comentários:

Lalo Arias disse...

Dade,
fico grato pela paisagem... e também pelo velho Chet ao fundo.
beijo

Anônimo disse...

O muro como tela para a imaginação...
muito bom isso, amiga Dade.

beijo da
Kelly

Mai disse...

Com estas tuas palavras, Imaginei, sim e viajei na melodia.

Obrigada pela visita e comentário.
te seguirei de perto.

Abraços.