segunda-feira, dezembro 28, 2009

Passado com passas


O abraço dobrado
e o bom passadio
de passas no arroz
era a vida dos dois
lareira no frio
praias no verão e
a vida passando
como o ferro passa
e o trem já passou.

Depois do passado
em que a história acontece
ficou só um presente
onde nada mais passa.
O presente é um roteiro
que nem começou.

7 comentários:

Héber Sales disse...

Minha querida,

muito obrigado pela visita e pelas palavras.

Eu ando pensando muito nas coisas desse teu poema. Em como só o presente é de fato eterno.

Muita felicidade para você em 2010.

Beijo grande!

Mai disse...

Bem, Dade, eis a órbita do tempo em compassadas palavras.

beijos, querida.

boas festas.

Fabio Rocha disse...

Dade, quero envelhecer com a serenidade de sua poesia...

Beijos

Nydia Bonetti disse...

Serenidade - o que sua poesia me passa. A sua e a do Lalo. Ambos, parecem ter no tempo um aliado. Ler vocês me equilibra. :)

Beijo, Dade! Felicidades!

Nilson disse...

Belo belo!

Anônimo disse...

A vida é um presente enquanto dura, e teu poema vivencia isso de um modo leve e belo.

Um beijo especial de ano novo,
Kelly

Marcelo Amorim disse...

Mas além das músicas não resisti a ler algo também, este sublime aqui.