quarta-feira, janeiro 20, 2010

Haiti



Inútil tentar entender por quê
uma sentença sem rosto
cobriu de tantas nuvens o Haiti.
Prédios casas e mercados
sepultaram corpos no concreto
entre as esquinas secas 
de Porto Príncipe.

Uma sentença sem rosto despertou
a ira o medo o espanto
:
nem pelo fogo nem pela água
veio o dilúvio
porém de tudo que os homens construíram
com mãos de vida.

6 comentários:

Fabio Rocha disse...

É, inútil mesmo tentar entender certas coisas... Beijos, dade

Anônimo disse...

Andam pelo mundo essas "sentenças sem rosto", mas acredito que são baixadas pelo próprio ser humano, que não respeita o planeta em que vive. Alagamentos, tormentas, tufões, terremotos e aquecimento, bem o sabemos, são resultado dos excessos que nós mesmos praticamos.

Beijo
César

Lalo Arias disse...

Seria insensível de minha parte dizer que ainda há beleza sobre os escombros? Como seus versos, por exemplo...
Beijo

Nilson disse...

Sentença sem rosto: é isso!

Analuka disse...

Estas coisas indecifráveis... Beijos pintados, querida amiga Adelaide!

Marcela disse...

Compartilho da tristeza e impotência de todos aqui. Dói demais ver o que aconteceu lá. Seu poema é contundente, Adelaide.
Beijos,
Marcela.