quarta-feira, dezembro 12, 2012

Cumplicidade



Preparamos penumbra de floresta
aves de incenso em pátina de espaço
limita-nos um teto de silêncio
e as palavras nos tocam
em som de pensamento e voz de sonho.

Temos cenários
ouro
asas maduras
travo de história
e tímidas ternuras pela boca.

O mesmo gesto modela nossos membros
e logo os ata.
Falamos juntos coisas separadas
vivemos separados coisas juntas
e uno e o tempo de nossas vestes
distâncias e lugares.

Sob o teto sem fim de nossa sombra
caminham nossas sombras de mãos dadas.

 

10 comentários:

Ira Buscacio disse...

Um verdadeiro alumbramento, Dade, essas coisas de dois, por tua voz.
bj grande

Felipe Terra disse...

Por mais cúmplices que sejamos, nunca seremos um só...
Pois se fossemos um só, não haveria Cumplicidade...

Abraço Dade,
do Felipe.

Assis Freitas disse...

que poema Dade, belíssimo



beijo

Ivan disse...

Dade, acredito que essa cumplicidade vá durar toda vida. é muito lindo esse poema.

beijos do Ivan

José Carlos Sant Anna disse...

O real se escreve com o mais puro lirismo quando tocado por mãos tão hábeis.
O poema é uma perfeição, Dade.
abr.,

Leonardo B. disse...


[não há caminho

sem o multiplo passo, o silêncio
escavado em cada passo a passo.]

um imenso abraço, Amiga Dade

Leonardo B.

Adriana Riess Karnal disse...

lindo guria

AnaC disse...

Muito bonitos esses versos, Dade, amei!
Beijos com carinho.

Aloísio disse...

Este é um poema poderoso e belíssimo, Dade!
Beijo grande por ele, pela emoção que inspira.

Daniela Delias disse...

É lindo demais. Lindo. Morro de saudade de estar aqui. Um beijo, minha doce Dade.