segunda-feira, setembro 16, 2013

Formas



Sem fim
te faço caber
no escuro precipício
tua amada.

Teu corpo
um potro o habita
e me consome em formas
convocadas.

Acordo antes de teu rastro
à luz de um astro rude que te ateia
madrugada
dança de duras flores
nossa festa
desabrochada.

10 comentários:

teca disse...

Um estouro!!!

Beijos.

Tania regina Contreiras disse...


Adoro tua prosa, mas sua poesia é minha muito amiga! :-)

Beijos,

Assis Freitas disse...

que festa
formas



beijo

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Quando a alma tem fome de beleza,
chegar aqui,
sentir as palavras e o seu perfume,
é encontrar o doce alimento da
alegria...
Alimento que me renova as energias,
quando muito já silenciou pelos caminhos...

A amizade é o alimento da esperança.

Ivan disse...

Poesia mais linda, a sua!

Beijo do Ivan

Adriana Riess Karnal disse...

oh, Dade, que coisa linda de poema...

Fred Caju disse...

Espantosa essa última estrofe...

Adri Aleixo disse...

Formas maravilhosas!

Beijo, poeta linda!

José Carlos Sant Anna disse...

Poemas de formas enraizadas em movimento. Belíssimo poema, Dade!
Beijo, Dade!

Cris de Souza disse...

Formosura!

Beijo, Dade*