domingo, novembro 10, 2013

Conceito




Não há poemas na bolsa de valores
e entanto a poesia
traduz todas as línguas
dos homens e dos bichos
e é mulher-dama de esquina.

Não há poemas nas caixas do banco
a não ser
que a poesia se crie
na pele de um cliente
da fila de espera
recriando o paraíso.

6 comentários:

teca disse...

Versos feitos em todos os cantos que encantam a todas as almas...

Beijos.

Assis Freitas disse...

a poesia é este mister impar



beijo

Cris de Souza disse...

Mesmo será?

Beijo, Dade!

Nilson Barcelli disse...

Nunca me lembraria de fazer um poema onde entrasse a bolsa de valores e um banco...
Este teu poema não é bom, é genial.
Dade, tem uma boa semana.
Beijo, querida amiga.

Leonardo B. disse...


[assim fosse, e mais

valia,
fazer das somas do versos, não poesia
mas outra coisa qualquer.]

um imenso abraço, Amiga Dade

Lb

Eleonora Marino Duarte disse...

poesia, poesia, poesia! sempre e tanta, quanto mais forem os olhares como o seu, Dade!

viva a poesia nos olhos de quem a vê em todas as coisas!!!!


um beijo.