segunda-feira, julho 16, 2007

Cena

Da colina
só se viam mar e céu
e uma enganosa placidez
a ondular lá embaixo
enquanto o vento tecia
palavras entre os cabelos
e o poema se erigia em carne.

O tempo da paixão
é o tempo em que se tem tudo a perder.

Um comentário:

Mel disse...

Você pode estar certa, Adelaide...
Estou pensando!
Beijos