terça-feira, julho 03, 2007

Maçã


Ana luisa Kaminski. Transe.

Um ponto cardinal
dança em gotas de sol sobre a vidraça.
O inseto olha a maçã.
Nada do que disser o poema
tem o poder do olhar.
Nenhum de nossos temas
consegue mais do que mapear
a força do desejo
e o medo de cravar
enfim
os dentes na maçã.

Um comentário:

Analuka disse...

Que surpresa deliciosa me encontrar aqui, em tua Maçã!!!
Vou cravar os dentes nela... ou, então... aspirar seu perfume, e beijar sua pele rubra, quase nua...
Grata, querida, e um beijo florido, escarlate, para ti!