sábado, setembro 27, 2008

Manhã 2




São densas as manhãs
antes da vida
quando se emerge da
gruta no
jogo da memória.

A vala cega do sono desnivela
cada história
que recomeça à mesa do café.

3 comentários:

Moacy Cirne disse...

Oi, você estaá voando no Balaio. Abraços.

Marcelo Amorim disse...

Pelo que vi aqui e vi lá no canto da Liz, é época de janelas. Ah, e de goiaba também :-)

Mïr disse...

"são densas as manhãs
antes da vida..."

Muito forte esta imagem poética.

Beijinho.