segunda-feira, março 09, 2009

Desajuste



Imagem Escher..


Não caber naquele rótulo
que lhe colaram na testa
foi como quebrar a caixa de
marchas do carro da vida
e ter proibida
sua entrada numa festa

9 comentários:

Pedro S. Martins disse...

não existem rótulos. existem é descrições desajustadas às pessoas.

Gisela Rosa disse...

belíssimo esse desa-juste de palavras e como con-figura com a imagem de Esher...com carinho

nydia bonetti disse...

Tão bom se libertar dos rótulos, ser transparente, embora sempre doa, em nós ou nos outros.
bjo.

J.R. Lima disse...

pois é. acho que o que resta é escolher o próprio rótulo. afinal, ser "sem-rótulo" não seria apenas mais um cliché?

Ótima postagem! dá muito em que pensar.

helen ps disse...

Profundidade em poucas palavras.
Há como não rotular?
Há como não ser rotulado?

PAZ e LUZ

Marcello disse...

Haverá sempre de existir uma outra festa...
(e obigado pela visita)

Moacy Cirne disse...

Oi, republiquei um poema seu no Balaio.

Abraços.

king of pain disse...

Mas será que a vida hidramática
é de fato menos problemática?
Viva a festa do desajustado
que é bem mais do nosso agrado!
Beijocas!!!

acqua disse...

Rótulos são sempre formas silenciosas de tormentos.