quarta-feira, abril 14, 2010

Espera




A ferrovia
corta a distância
o tempo
mas não desfaz a espera.
O trem carrega as lembranças
e não pára.

Mesmo que os trilhos
vistam anéis de sol e lua
a espera é uma viagem
sem desvios.

6 comentários:

Lara Amaral disse...

Poetisa, sem palavras quanto a esse poema. E a espera é mesmo muda tbm.

Amei!

Beijo.

Leonardo B. disse...

[mudam-se as linhas, mantêm-se a breve estação do tempo; espera é uma constante, variável em cada instante]

um imenso abraço, Amiga Dade

Leonardo B.

Márcia Maia disse...

'espera é uma viagem
sem desvios'

belo demais.
beijo.

Nydia Bonetti disse...

de esperar
arranco
das pedras os olhos

meus olhos arranco
e os atiro ao mar

pesados
logo serão tragados

pelo abismo
dos olhos cansados

eu, sigo
com meus olhos
de pedra


nem me fale da espera, dade... beijo.

Anônimo disse...

Espera é um sofrer particular.
Aqui se diz muito em poucas palavras.

Beijo grande
Kelly

Lalo Arias disse...

Conheço muito bem os trilhos dessa estrada, Adelaide. Lindo poema.
beijo