quarta-feira, julho 14, 2010

Correio*

Vem do trabalho às sete
na caixa do correio
as mãos cheirando a rosas
e o pensamento molhado de mensagens
recolhe contas
comunicados bancários e alguns volantes
publicitários.

dade amorim
*Reedição.



Poeta premiada, de produção expressiva, a amiga internauta Maria Azenha tem inúmeros livros publicados, está na Wikipédia e tem vídeos gravados no YouTube. Além dos poemas, ela faz música, como se pode ouvir aqui.

É dela essa pequena joia:

cultivo rosas brancas
em varandas a ocidente
daqui avista-se o mar
e o mar é grande

chove.

atravesso um caminho branco

chove.

o mar entrou pelo meu coração

Maria Azenha







10 comentários:

Lara Amaral disse...

Que lindo seu poema! Imaginei alguém cheio de ilusões, olhando para as contas na caixa de correio como quem recebe uma carta de amor.

Não consegui acessar o blog da Maria Azenha, acho que precisa de permissão.

Beijos.

Amélia disse...

Gostei muito deste seu poema, tão de acordo com o nosso quotidiano.Agora já não temos cartas- e substituimo.las por SMS ou mails...
E a falta que fazem as cartas - e não só as que o Álvaro de Campos considerava ridículas...

Marcantonio disse...

Nossa! Que bom isso! Já passei por essa sensação desalentadora: em vez da esperada mensagem do outro, o correio nos traz as triviais notícias de nós mesmos.
Como a Lara, não consegui acessar o blog. O poema é mesmo uma pequena jóia.

Grande abraço.

Úrsula Avner disse...

Oi Dade,

os dois poemas são adoráveis ! Um mimo ! Bj ,

Úrsula

contagotas disse...

Rotinas do dia-a-dia.
Excelentes poemas, imagens lindas!

Bjos

Jefferson Bessa disse...

Dois poemas que se abrem lindamente.
Bela escolha!
Um prazer ler Dade Amorim e Maria Azenha.
Beijos.
Jefferson.

Nilson disse...

Belos e sutis, os dois poemas. Vou lá no blog de Maria Azenha!

Mirze Souza disse...

Ah! Correio!

Lindo poema, Dade!

"o pensamento molhado de mensagens"...faltou-lhe a carta que precisava.

Maria Azenha, acompanho seus vídeos poemas. Perfeitos.

Beijos

Mirze

Assis Freitas disse...

poemas bailando no mesmo ritmo e surpreendendo a cada acorde, ah o mar é grande

beijo

nydia bonetti disse...

Estes dois poemas são pequenas jóias, dade. Daquelas guardadas em caixinhas perfumadas. :) beijos.