sábado, julho 10, 2010

Inscrição

Lembrar alguém
descolado
irreverente
libertário
que desconhece
contente
protocolos
é quase ser feliz.

Amigo bem-amado
sempre capaz de voar
e rir e comover.

Tudo que diz e faz
fala de novos caminhos
e de paz
de um mundo delicioso
inexplicavelmente íntimo
e amoroso
como um ninho.

De que galáxia em flor
você voou?

dade amorim




Fred Matos no Poema-amigo

Fred Matos é um poeta de Salvador que só conheço da rede, mas que se faz querer bem pela sensibilidade de sua poesia, pelas palavras amenas e pela alegria de viver que transparece em tudo que escreve - mesmo quando não se trata de expressar o que há de mais alegre.

Escolhi a ilustração usada poir Fred no Nas horas e horas e meia, seu ótimo blog.

infância


escrevi este poema com os silêncios
que sobraram no sótão
onde
na infância
escondíamos as sementes
apanhadas nas frestas
dos paralelepípedos polidos
de uma rua úmida
coalhada de borboletas
sóis siameses
e anos luminosos
deliciosamente nossos
ossos nus nações limítrofes

e repito tal mantra um verso apenas:
nada é vão.


Fred Matos

11 comentários:

Ianê Mello disse...

Belíssimos poemas , Dade e Fred. . Parabéns.Bjs

José Carlos Brandão disse...

"de que galáxia em flor você voou?"
... Como se estivesse desvendando a gênese da poesia.
Abraços, Dade.

« Katyuscia Carvalho » disse...

Dade,

Teu poema, a imagem, o poema do Fred, o dizer de infância, de amizade, essa música, o sorriso da Adélia na janela lateral...

Tudo aqui me adentra.

Um beijo a ti, outro ao poeta, atirado como "peteca" que quebra vidraça de uma moleca lembrança.

Mirze Souza disse...

Maravilhoso!

Dade, seu poema está além da poesia.
Uma obra prima!

E em dupla com um dos meus poetas favoritos. O eco de Fred Matos, junto
ao seu, vem sim de uma galáxia!

Fantástico!

Beijos

Mirze

Fred Matos disse...

Estou comovidíssimo, Dade.
Agradeço-lhe e a todos os outros amigos que comentaram.
Ótimo domingo.
Beijos

Assis Freitas disse...

clap,clap para ambos,

beijo

Carla disse...

Lindo. Lindo o poema do Fred tb. Aliás, lindos esses poemas de outros, que tb falam de coisas miúdas e casam lindamente com os seus. Tão pequena, Adelaide. Fada você.

Úrsula Avner disse...

Oi Dade,

é sempre um momento de prazer aportar em seu blog e ler tão bonitas e esmeradas poesias...
Conheci o Fred também pela net e admiro muito o trabalho dele. É sem dúvida um talentoso e sensível poeta. Seu poema e o dele travaram bonito e harmonioso diálogo. Bj,

Úrsula

Lara Amaral disse...

Que maravilhas os poemas de vcs dois!

Beijos.

Nilson disse...

Esses diálogos! Adorei esse também, pra variar. Beleza (s), Dade!

Samuel Pimenta disse...

"nada é vão", diz Fred Amorim. A vida não é vã, disse tenho a certeza! Adorei o poema!

Quanto ao "inscrição", Dade, que belas memórias tem desse alguém vindo dessa galáxia em flor, voando. É bom recordar. É bom ter o que recordar, significa que estamos vivos, nesta vida que não é vã!

Um grande abraço de Portugal,

Samuel Pimenta.