segunda-feira, maio 16, 2011

Despetalado




Se a luz que percorria nosso corpo
do amor
se apaga
a escuridão nos ata
e a ausência de quem se ama
pesa mais.

Uma palavra pronta a ser dita
que os lábios calam
é silêncio maior que a música
e canta
mas entristece.

Carregamos o peso das ausências
as palavras caladas
e os desejos
despetalados
antes de florescer.


8 comentários:

Suzana Martins disse...

carregamos o amor e toda a vontade na derme e em sentimentos...

perfeito

beijos

teca disse...

Gostei dos versos... e da música que veio junto...
Um beijo carinhoso.

Ivan disse...

Pesos difíceis de levar, com certeza.

Beijo e sempre essa leveza.

Zélia Guardiano disse...

Versos maravilhosos, minha querida Dade!
Sentia saudade de seus escritos...
Abraço bem forte!

Luana disse...

Temos que carregar tanto do que deveria ser nossa alegria e prazer, mas a vida não deixa!

Beijo carinhoso, Dade.

Ilaine disse...

Abortar o florescer... a ausência das palavras... Lindo o poema, Dade. Há uma infinita sensibilidade em suas palavras. Beijo

MIRZE disse...

Fantástico poema, Dade!

Exatamente o que acontece quando o amor se apaga e somos atados pel escuridão.

E ausência pesa mesmo.

LINDO DEMAIS!

Beijos

Mirze

Milene R. F. S. disse...

O silêncio e a ausências são grandes pesos para o amor, significando ás vezes marcas de melancolia eterna. Belíssimo poema, beijos!