segunda-feira, fevereiro 04, 2013

À la Clarice




Se a luz percorre nosso corpo
e o amor se apaga
a escuridão nos ata
e a ausência de quem se ama
pesa mais.

Uma palavra pronta a ser dita
que os lábios calam
é silêncio maior que a música
e canta
de entristecer.

Carregamos o peso das ausências
as palavras caladas
e os desejos
despetalados
antes de florescer.





19 comentários:

Assis Freitas disse...

este peso, tal qual Atlas


beijo

Ivan disse...

Encantador seu poema, Dade.

Beijos do Ivan.

Ivan disse...

Encantador seu poema, Dade.

Beijos do Ivan.

Marcelo R. Rezende disse...

que trem mais lindo.
senti tanta coisa lendo, lembrei um pouco de mim, que nem consigo dizer.

parabéns, dade.

Adri Aleixo disse...

Nossa, ainda ontem eu li "Obsessão"!
Poemaço!
Beijo!


R. Vieira disse...

E eu que sempre me encanto quando chego aqui!!!

Versos sensacionais Dade!
Meu beijo pra ti!

José Carlos Brandão disse...

Dade, desculpe. Vi só agora seu comentário lá no Dardo.
Esse título (Deus contra todos...) é a tradução do título alemão que Herzog deu a seu filme sobre Kaspar Hauser, de onde são tiradas as frases deste poema. Interessante que Herzog tirou esse título do filme Macunaíma, de Joaquim Pedro de Andrade.
Não é a minha ideia sobre Deus. Não costumo expressar as minhas ideias. Apesar de me orgulhar do que penso sobre Deus, que se encarnou para nos ensinar a Esperança. É difícil ter esperança nos homens, difícil mas possível, eu tenho. Tenho algo daquele Otimismo trágico que que falava Mounier, expressando o pensamento católico diante do mundo conturbado em que vivemos.
Melhor criar um poema delicado como este seu. A vida também é feita de leveza.
Um grande abraço.

dade amorim disse...

Amigo Assis, pesa mesmo...
bj

dade amorim disse...

Sempre muito gentil, Ivan.
Bj

dade amorim disse...

Te desejo muita felicidade, Marcelo.
Bj

dade amorim disse...

Obrigada, querida Adri.
Bj

dade amorim disse...

Obrigada, R.
Bj

dade amorim disse...

José Carlos, vi Kaspar Hauser e não me lembrava desse título. Memória fraca. Vi tb Macunaíma e nem lembrava desse título, tampouco.
Mas foi ótimo vc lembrar e falar de todos esses detalhes.

Obrigada e um abração.

Fred Caju disse...

De primeira.

teca disse...

Desejos infinitos... um peso que a gente carrega...

Beijos.

dade amorim disse...

Fred, vc é bem estimulante em seus comentários!
Abraçasso!!!

dade amorim disse...

Isso mesmo, Teca querida!
Beijo beijo.

Anna Amorim disse...

Pétala caem, chorar de flor-poeta.

Beijos,

Luck Charm disse...

Lindo! Adoro poesia. Também gosto de escrevê-la eu mesma. E de Clarice que é outro amor. Deixo um beijo. Grande!