quarta-feira, abril 03, 2013

Impermanência




Entre as bifurcações do caminho
vencido pelo cansaço
acabou desistindo
de encontrar estrada mais suave.

Entre chegadas e partidas
a vida já não tem o mesmo itinerário.

9 comentários:

Adri Aleixo disse...

Eis a hora de um ad(vento).

Beijo, florzinha!

José Carlos Sant Anna disse...

Tão intensa quanto suave, mas sempre iluminadora a sua palavra poética.
Abr.,

Adriana Riess Karnal disse...

será que ainda existe estrada suave? eu queria crer que sim

Ira Buscacio disse...

o homem, muitas vezes, não enxerga nem o próprio pé.

porradão, Dade!
bj imenso

Assis Freitas disse...

há uma trilha sobre trilhos





beijo

Fred Caju disse...

Talvez nunca tenha tido.

teca disse...

Demais! Estradas que continuam... seguem...


Beijos e flores.

dade amorim disse...

Obrigadíssima, amigos do Inscrições!
Beijo pra todo mundo.

AnaC disse...

Gosto demais de teus poemas, Adelaide!
Beijinhos mil.