terça-feira, outubro 22, 2013

Alguém




Um traço, um lenço, um terço
o jeito registrado num retrato
e a casa de repente tão deserta
silenciando as vozes.

Alguém restou e fala por sinais
à espera da resposta que não vem
e nada mais se sabe
além de cinza ao vento
que pousa aqui e ali
em todas as histórias.


8 comentários:

Leonardo B. disse...


[construídos sombra após sombra,

retrato ténue, de nós
de alguéns]

um imenso abraço, Amiga Dade

Lb

José Carlos Sant Anna disse...

Este retrato na parede é sempre uma lembrança que que nos faz evocações. Como viver sem elas?
Beijo, Dade!

Adri Aleixo disse...

Tão presente!!!
Beijo :)

Ivan disse...

Adorei mesmo! É um poema digno de você.

Beijo do Ivan

Assis Freitas disse...

"alguém cantando é bom de se ouvir"


beijo

Aloísio disse...

Gostei tanto desse poema que reli duas vezes.

Beijo

marlene edir severino disse...

A voz do silêncio
nos tantos sinais

Beijo, Dade!

Cris de Souza disse...

Pode ser um fantasma camarada...