quinta-feira, outubro 17, 2013

Rostos, máscaras



Rosto cheio
é o que se mostra
à luz do dia
nos lugares
convencionais
de conviver.

Menos cheio será
o da tarde
na volta do trabalho
do bar da esquina
ou de uma festa
modelado apenas
pelo pensamento.

Depois
na hora do sono
em branco
o rosto.

Sem o riso
sem maldade
se não precisa
impressionar
e muito menos
mentir
no máximo
um rosto pode estar
ausente
adormecido
ou molhado
de lágrimas
que afinal
podem correr
livres.

7 comentários:

José Carlos Sant Anna disse...

Que pintura incrível você fez do rosto. Três momentos no dia! E pintá-lo (o rosto) com tanta poesia, com tanto lirismo! Perfeito!
Beijo, Dade!

Ira Buscacio disse...

que maravilha, Dade, esse poem que é qualquer rosto, o nosso de cada dia.
bravo!
bj grandão

Ivan disse...

Um lindo poema como esse merece ser lido e relido.

Beijos

Assis Freitas disse...

desenho talhado a verbo



beijo

Nilson Barcelli disse...

O rosto ora fica cheio ora menos cheio...
O rosto reflete a vida que temos.
Belas palavras, gostei.
Uma boa semana, querida amiga Dade.
Abraço.

Cris de Souza disse...

Lembrei da Cecília:

"Sou entre flor e nuvem, estrela e mar. Por que havemos de ser unicamente humanos, limitados em chorar?"

Beijo, Dade!

Enylton disse...

Dade, esse poema é demais!

Amei e te envio beijos nossos.