segunda-feira, dezembro 03, 2007

Descoberta

Ruas desertas
o mundo se distancia como um barco.
Casas fechadas
fluidas
fachadas desgarradas pela noite.
Imenso é o céu sem jardins
os muros adormeceram
emudeceram calçadas
e tudo que se sabia da rotina
era mentira.

2 comentários:

Lunna Montez'zinny disse...

há dias não chegava até aqui. Ando ausente até mesmo de mim e esse seu verso hoje, me disse tanto de uma forma tão natural...

Abraços meus e grata por sua participação junto ao coletânea artesanal. Em tempos, o problema do blogger já foi resolvido.

Betty Branco Martins disse...

Querida Adelaide






__________muitas vezes


olho



__________com os ouvidos




__________o "letargo" da cidade





____e





me comove verdadeiramente






sentir_________os passos






agitados_________da inercia





movimenados__________braços





___________tomados




pela


letargia________[...]




___________é sempre um prazer_______imenso



chegar "aqui"



beijO c/ carinhO