quarta-feira, fevereiro 22, 2012

Ficções



I

Escrevi uma carta
autocastigo
que chegou ao destino
mais depressa do que imaginava.
Dizia tudo que desejei esquecer
lembrava o que não devia nunca
ser lembrado
e confessava pedaços de uma história
desconhecida do público em geral.
Depois de ter chegado às mãos erradas
pensei que vazaria
derramada
rolando de casa em casa
e rua em rua.
Chorei
perdi o sono
durante as quatro noites de aflição
e quase desmaiei de emoção
ao receber o envelope
devolvido
e dentro dele a carta picotada.
Junto chegava um recado
dizendo
‘para de pensar nisso.
A fama tem um preço bem mais alto.’

8 comentários:

teca disse...

Ai, que mágico!!! :)

Beijinhos e uma flor do campo.

Assis Freitas disse...

cartas que voejam em destinos picotados: remember



beijo

MIRZE disse...

Lindo, Dade!

Como é bom esse finalque só sua ficção sabe dar.

Beijos

Mirze

Tania regina Contreiras disse...

Grande, Dade! Suspiro no final.

Beijos,

AnaC disse...

A carta picotada é um final feliz e chorado. Lindo, Dade.

Bjs.

mfc disse...

Um final, em jeito de epílogo, absolutamente surpreendente!
Parabéns.

Ivan disse...

Este é um poema encantador!

Beijos do Ivan.

Anônimo disse...

Ficções servem para nos enriquecer...