segunda-feira, julho 30, 2012

Thanatos

O teu contorno é o fio do silêncio
escondido no corpo
te refazendo sempre
à imagem e semelhabça de uma sombra.
O abismo que te traga é o mais fundo
o mais escuro traço é o que te apaga
na treva que devora tua imagem.

7 comentários:

Leonardo B. disse...

[Thanatos e seu irmão, o traço eclipse do corpo

vagueando a escuridão; traço da morte, traço do último sono.]

um imenso abraço, Amiga Dade

Leonardo B.

Adriana Aleixo disse...

Com dedos de fada, tens poesia para tudo, querida Dade!

P.S.Ratifico o comentário de Leonardo.

P.S.2: Dade, querida, há mais de um ano trocamos comentários em nossos blogs e só agora e fiz um facebook e pude conhecer um pouco mais de você.
Suas palavras sempre me encantaram e eu sempre imaginava quem era aquela bonequinha. Estou muito feliz por ter feito um perfil no face. Te encontrar, já valeu a pena.
Beijo!!!

Luiza Maciel Nogueira disse...

fio lindo de silêncio profundo!

grande beijo

Mirze Albuquerque disse...

Lindo, Dade!

O fio de contorno refazendo a imagem "sombra", porque silêncio.

Beijos

Mitze

Assis Freitas disse...

é o fio e o precipício, o que no fundo queima,


beijo

Aloísio disse...

Quase trágico, triste, silencioso poema. E tão belo!

Beijos.

Daniela Delias disse...

Belo, belíssimo.

Bjos!

:)

P.S. Acabo de colocar lá no Facebook o teu "Tempo sem Tempo". É precioso!