quarta-feira, agosto 01, 2012

...


todo caminho é dádiva do acaso
nesse reino inseguro
respostas se perderam das perguntas
e o tempo parou
infestado de frestas

5 comentários:

Carla Diacov disse...

Lindo e nem me fale das frestas!!!


beijos!

Mirze Albuquerque disse...

BELÍssimo, DADE!

E é quando o tempo para que percebemos a dádiva!

Beijos

Mirze

assis freitas disse...

e o acaso que não finde em ocaso,


beijo

Luana disse...

" e o tempo parou
infestado de frestas"
_um final magistral, Dade!

Lindo esse poema.

Beijos.

Cris de Souza disse...

As frestas não tem hora certa pra se fendar...