quarta-feira, agosto 29, 2012

Passado



O passado e suas asas
semente
nascente fresca
claro-escuro de memória
pássaro louco
sobre nau bem talhada de madeira
singrando seu roteiro.

O passado
cansou das coisas alheias
ávido
grávido de si mesmo
inútil como uma estrela
desabitada.

10 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

Um belo retrato do passado. "Inútil como uma estrela desabitada"...Um deserto.

Beijos, Dade

Assis Freitas disse...

este final é corrosivo e belo


beijo

Suzana Martins disse...

o passado cria telas que desabilitam algumas sensações...

beijos linda

Bípede Falante disse...

Indestrutível.

beijoss

Aloísio disse...

Cada vez mais aprecio seus poemas, Dade.
Beijo!

Aloísio disse...

Cada vez mais aprecio seus poemas, Dade.
Beijo!

Mirze Albuquerque disse...

Lindo demais, DADE!

Não gosto do "passado", mas retratado assim, ficou tão belo, que vou repensar.

Beijos

Mirze

Morgan Nascimento disse...

Olá, parabéns pelo seu blog!
Se você puder visite este blog:
http://morgannascimento.blogspot.com.br/
Obrigado pela atenção

AnaC disse...

Sim, o passado é inútil.
E o poema é muito lindo.

Beijos!

mfc disse...

Sentir a vida... apesar de tudo!
Um poema sentidamente forte...

Beijos,