segunda-feira, agosto 20, 2012

Na praia


Foto Dora Vilella

Morre um momento passivo
o doce abandono dos membros
esquecidos meus dias brancos.
Aos pés do mar
depositei minha loucura
e abandonei meu passado
sobre a areia.

8 comentários:

Bípede Falante disse...

na areia dá pra fazer um castelo de antigamentes :)

beijoss

Ivan disse...

Queria poder fazer isso tudo que o poema descreve...

Lindo, Dade.
Beijos do Ivan.

Assis Freitas disse...

o mar e seus nadas,


bj

Tania regina Contreiras disse...

O mar acolhe todas...todas as loucuras! Talvez por isso seja tão fascinante.

beijos,

Bia disse...

Delicioso, esse poema!
Beijos!

Cris de Souza disse...

No mar os nadas são muitos. Que dirá na areia...

Beijo, Dade!

Mirze Albuquerque disse...

Preciso aprender a "matar" momentos.


A areia se auto revolve e ninguém verá mais o que ali foi abandonado.

LINDO POEMA, DADE!

Beijos!

Saudades

Mirze

mfc disse...

Não há loucuras... apenas atrevimentos que sabem bem!