sexta-feira, junho 14, 2013



O mar do visionário

                             Para Debussy


O mar fala de penínsulas
que há muito o tempo desmanchou
tocados pelas aves pela espuma
as algas retorcidas
e algumas ilhas sem nome
recolhidas
a uma velha praia desbotada.
O vento vem sonhando
voz de pérolas
de pacientes espumas
e alimento de peixes e sereias.
Os temas que sonha o mar
nunca se acabam
ainda longe de ilhas e areias
como pranto
decantado em salinas desatadas
corais que as ondas cobrem
e serpeiam
em cristas sempre novas
ou explosões de fúria e som
de dor
confins, traições milenares
catedrais
e sinos
melodias
entoando vozes submersas
ou náufragos
em plânctons conversos.

5 comentários:

Assis Freitas disse...

o mar fala uma linguagem de ondas



beijo

José Carlos Sant Anna disse...

Inspiradíssimo este poema. Transborda lirismo em cada verso. Vivas à tua lírica sempre rica!
Abr.,

AnaC disse...

Nossa, cada poema mais lindo que o outro!

Beijos, Dade.

Ivan disse...

Um poema dos mais belos que já li aqui no Inscrições.

Beijo do Ivan.

teca disse...

O mar nos avisa de tantas coisas...

Beijos.