quarta-feira, novembro 24, 2010

Trama


















Foi mulher de muitas tramas
em noites de pisar estrelas de neon
corpo de pétala.

O chão da noite apagou
mas não abandona as tramas.
Abre a gaveta e retoma seu tricô.

10 comentários:

Mai disse...

Imprescindível não deixar de sonhar, pintar ou bordar, ou tramar; seja a linha qual for.

Linda a tecitura de teus versos.

abraços, Dade

Leonardo B. disse...

[a onda no mar também nunca tem fim, ainda que pareça desfazer-se na praia...]

um imenso abraço, Amiga Dade

LB

Úrsula Avner disse...

Bonito poema Dade, com ricos elementos oníricos que encantam... Um beijo com gotas de poesias.

MariaIvone disse...

Todas as vidas têm suas tramas, todas as tramas têm o seu tempo.

Bonito demais seu poema.

Te abraço
MariaIvone

José Carlos Brandão disse...

Como Penélope, vai tecendo as tramas em que enleia os falsos amores, à espera do amor.
Beijo.

Mirze Souza disse...

Lindo, Dade!

Ser mulher de muitas tramas é pisar mesmo em chão de estrelas.

Não importa o "apagar" da noite, a trama e seus belos versos continuam.

Beijos

Mirze

Assis Freitas disse...

a bordar os fios da trama,


beijo

Anônimo disse...

Quem aprendeu a tramar nunca abandona o vício.
Beijos
Ivan

Antonio Carlos disse...

Acho que somos seres de muitas tramas, algumas evidentes outras não, outras obscuras e outras boas.
Por isso vivemos a tircotá-las, pedaços presos que compõem um todo, pessoa de altos e baixos.
Obrigado pela sua visita em meu espaço, volte sempre.
Abraço e sucesso, Dade.
um bom Domingo!

nydia bonetti disse...

Tecer poemas além do tricô, faz pisar estrelas e faz brotar a flor - mulher. lindo! beijo, dade, boa semana!