domingo, janeiro 30, 2011

Noite


Imagem E. Hopper.

Aa treva é um oceano
distante de si mesmo
todo um cenário imaginado
e vazio.
Espera imóvel o sinal
da vida que demora
um desejo
a voz de alguém que chegue
diga seu nome e transfigure a noite.
Mas tudo que se move é essa espera
como pequenas estrelas em seu corpo.
Da treva exterior
nada se altera.




 

8 comentários:

Assis Freitas disse...

a idéia da espera em movimento é fantástica, em contraponto com a treva que imobiliza

beijo

Anônimo disse...

Sabe que aprendi a gostar de poesia por sua causa? Acho que nem preciso dizer mais nada...

Beijo do Ivan

Mirze Souza disse...

DEMASIADO LINDO!

Dade!

"A treva espera imóvel o sinal da vida"

"Da treva exterior nada se altera"

A 1ª é a noite que nos alcança.
A treva exterior, conheceremos?

Espetacular!

Aplausos!

Beijos

Mirze

José Carlos Brandão disse...

Lindo, Dade. A luta do poeta contra as trevas. O poder de iluminação da poesia - e a fraqueza humana do poeta. Tanto.
Beijo.

nydia bonetti disse...

A espera é tudo que "nos" move. Estrelas... inventamos, na noite permanente.

beijos, dade.

Lara Amaral disse...

Penso nesses que escutam e enxergam além, deve ser bom não viver de espera.

Beijo.

Anônimo disse...

Dade, é essa 'demora da vida' a causa de tanta anisedade.
Lindo seu poema.
Beijos
AnaG

Nilson Barcelli disse...

Comecemos, então, por clarear a treva interior...
Excelente poema, querida amiga. Gostei imenso.
Beijo.