sábado, fevereiro 26, 2011

Enigma II

Tela Camille Pissarro.

Alguma coisa se esvai
pela fímbria de teus dedos
que invade minha vida.
Alguma coisa de mim
teus olhos denunciam
que me inquieta.

E quanto mais
eles me decifrarem
mais saberás de mim
e mais perdida em ti
me encontrarei.

5 comentários:

Lara Amaral disse...

Lindo, Dade, ler-te me engrandece! =)

Beijo.

Mirze Souza disse...

Magnífico, Dade!

Notar que algo seu se esvai no outro já é divino.

Estar ou sentir-se perdida no outro, ´diz a profundidade que sua alma alcança ao lidar com o amor, ou mesmo com outra pessoa.

Bravíssimo!

Beijos

Mirze

MariaIvone disse...

Bonita essa perca de nós no outro!

Bj

Luiza Maciel Nogueira disse...

taí uma preciosidade em poesia!

bjs

helen ps disse...

Amor e cumplicidade magistralmente descritos.

Lindo teu poema, Adelaide. Manso e leve como deve ser o amor.

Abraços.

PAZ e LUZ