sexta-feira, setembro 02, 2011

Silêncio





Quando o silêncio
calado a medo
inventa a guerra
e rasga o tempo
morte nas dobras
é silêncio falso
cheio de espinhos
escondidos.

Silêncio verdadeiro
é transparente
cristal
capaz de flexão
manso nas palavras.
Silêncio verdadeiro
é papel de presente
envolve a paz.

12 comentários:

Luiza Maciel Nogueira disse...

Putz, digo Dade né. É que as vezes eu acho a escrita de vocês tão parecida, mas lógico tem suas diferenças, matizes. Desculpa querida por essa confusão.beijoss

Zélia Guardiano disse...

"silêncio verdadeiro
é papel de presente
envolve a paz"

Que inspiração grandiosa para compor esses versos, minha querida Dade!
Lindo demais o seu poema!!!
Abraço e beijinhos da
Zélia

Assis Freitas disse...

silencio é pura intimidade,


beijo

Sandrio cândido. disse...

e o silêncio verdadeiro faz falta

Suzana Martins disse...

o silêncio é a voz da alma...

beijos

Sônia Brandão disse...

Silêncio é a verdadeira voz.

Pura beleza, Dade.
bjs

MIRZE disse...

Dade!

Linda definição de silêncio como papel de presente que envolve a PAZ!

Beijos

Mirze

Daniela Delias disse...

"Silêncio verdadeiro é papel de presente...".Que bonito, Dade!!!
Um beijão,
Dani

Enylton disse...

Entre bons e maus silêncios, segue nossa vida.
Bj.

MOISÉS POETA disse...

Antes dos poetas ,todos os
silêncios portavam solidões.

Um dia apareceu um poeta,
e transformou a pedra do lamento
em fumegante liberdade.

Sem geneologia, sem nada...

Dade !
Sua poesia fala alto.
que bonito tudo isso...

Um beijo grande !

Samuel Pimenta disse...

Silêncio verdadeiro é misto de vazio e plenitude. Silêncio verdadeiro é fusão do tudo e do nada!
Belíssimo poema, Dade!

Cris de Souza disse...

suspeito que o silêncio motive a arte.

beijo, dade!