quarta-feira, setembro 21, 2011

Súbito




A qualquer momento
a flor dos sentidos
se faz breve.
Quando menos se espera
mergulha-se num mar
insuspeitado.
De repente
entra em eclipse
tudo que se pensava
de viver.


6 comentários:

AnaC disse...

De repente, não mais que de repente...
Bonito poema, Dade.
Beijo.

Luiza Maciel Nogueira disse...

é de repente e o mndo muda, tudo se torna, assim de repente. Um dos poemas mais lindos que já li.

Beijos
Luiza

dani carrara disse...

lindo. que descansa.

um beijo

MIRZE disse...

Beleza de poema!

Um giro de 180ª já balança a vida. Imagino um eclipse que entra de súbito.

Muito intuitivo!

Beijos

Mirze

Ivan disse...

Eclipses acontecem sem ser previstos.
Beijos.

Daniela Delias disse...

Bem assim, bem de repente...