sexta-feira, novembro 25, 2011

Noite bruta


 
Frutos da noite
germinam
imitando a lua cheia.
No chão
a distância brilha
urde os favos da colmeia.

Desejos
na noite bruta
inventam grutas e beijos.

11 comentários:

MIRZE disse...

Fantástico, Dade!

Os desejos inventam tudo. E numa noite bruta de lua cheia, Eles se esbaldam

Beijos

Mirze

Sandrio cândido. disse...

Gostei da contraposição gerada pelas duas ultimas palavras...
abraços

Luiza Maciel Nogueira disse...

lindo Dade, essa palavra "bruta" me dá um arrepio, mas seu poema é lindo demais.

beijo

Bípede Falante disse...

Noites brutas deixam os dias mais suaves :)
beijoss

Amélia disse...

Lindo, amiga!

teca disse...

Um jeito metafórico genial de versejar...

Um beijo carinhoso.

Nilson Barcelli disse...

Noites brutas como essa até que são boas...
Belíssimo poema. Gostei imenso.
Querida amiga Dade, tem um bom fim de semana.
Beijos.

Jorge Pimenta disse...

este lusco-fusco que acende manhãs claras de frutos vermelhos pela mão da noite é pura magia. e as tuas palavras são [en]cantos!
beijinho, dade!

Suzana Martins disse...

Bruta, a noite encanta em grutas de sentimentos...

Beijos

Daniela Delias disse...

Noite bruta...que beleza rs.
Bjos!

Cris de Souza disse...

Que universo espantoso!

Beijo, Dade.