segunda-feira, novembro 21, 2011

Canção sem partitura

Tudo estava tão triste na sala e na varanda
os pássaros da rua tão calados
imaginava por quê
sem ter ideia do que estaria por vir
dali em diante todas as tardes
à hora em que não chegaria ninguém
como todas as horas agora aconteciam
e as distâncias pareciam maiores
salas de espera mais desoladas que de costume
e as pessoas impenetráveis e secas
passas velhas
não importa a idade que pudessem ter
ou que razões carregassem nas mochilas.

Tudo jazia
a vida mecanizada
o dia-a-dia monótono
por causa do horizonte fechado
a poucos metros de distância de seus olhos
e dos relógios
que os homens nunca deixam de fabricar
para ninguém
sem acontecimentos ou vozes
nem olhares
que abrissem outra visão
impossível de iluminar
em uma casa tão pragmática
e bem equipada
para viver espantando as lembranças
e satisfazendo desejos sozinhos
que as traziam de volta
sem calor nem voz.

Lembranças são partituras
escritas para nenhum instrumento.

8 comentários:

Sandrio cândido. disse...

gostei principalmente da ultima estrofe, os dois últimos versos traduzem uma profundidade solitária enorme...
beijos

Assis Freitas disse...

partituras escritas para o silencio, como aquela que o Marcantonio publicou do Cage,


beijo

p.s. mas ecoam

MIRZE disse...

É verdade! As marcas das lembranças poderiam ser pautadas, neste caso em DO.

O instrumento , nosso cérebro. guarda tudo.

Lindo, Dade!

Beijos

Mirze

Bípede Falante disse...

Belíssima comparação :)

Ivan disse...

Li e reli, de tanto que gostei.

Beijo, amiga.

Fênix27 disse...

Olá!
Lembranças são partituras escritas para nenhum instrumento.
E tudo fica em nossa lembranças, a solidão nos leva a lembrar, bom e doces momentos, ou ruins que nos amargura.
Adorei vir aqui e sigo-te.
Felicidades.
http://wwwavivarcel.blogspot.com/

Luiza Maciel Nogueira disse...

maravilhoso Dade, as lembranças realmente são um pouco disso, passam nas nossas vidas sem acontecerem necessariamente e como sentimos tanto por isso.

Beijos grande Dade!

Enylton disse...

Belo poema, lindas estrofes e final mais-que-perfeito.

Beijos nossos.