quarta-feira, novembro 02, 2011

Ela



Nunca percebe bem o que a assusta
e por isso se engana.
Às vezes
deixa que o medo entre em sua casa
e tantas outras
imagina que ama
antes de descobrir toda a verdade
sobre o ator principal
com quem irá compartir
um novo drama.

6 comentários:

Suzana Martins disse...

Ela, que as vezes deixa de ser dentro de si...

Beijos!!

Bípede Falante disse...

Dade, de arrepiar :)
beijosss

Adriana Aleixo disse...

Lindo, lembrou-me a Macabéa de "A hora da estrela".

Li sua definição de arte no blog Lua Nova e fiquei maravilhada, concordo com você, para ser arte tem de ser tangível.

Um beijinho

Kelly disse...

Imaginar que se ama sem saber exatamente quem, coisa de mulher.
Muito lindo esse poema, muito verdadeiro.

Beijo grande.

Luiza Maciel Nogueira disse...

Ela, sempre com essas manias :)

beijo!

Assis Freitas disse...

imagina o antes e o depois quiçá,

beijo