segunda-feira, janeiro 09, 2012

Negligências



Palavras têm vida própria
brotadas dos vãos do dia
ou de uma vida feroz
que vem de dentro.

Independentes
visitam nossa boca
repetem negligências
se nos escapam
voando soltas
pela voz do vento.

6 comentários:

Daniela Delias disse...

Sim, palavras têm vida própria...belíssimo o teu poema, Dade!
Beijão,
Dani

Ivan disse...

Sempre bom ter cuidado com essas negligências.

Beijos do Ivan.

mfc disse...

Tal como os filhos que deixam de ser nossos depois de nascidos... o mesmo acontece com as palavras!

Tania regina Contreiras disse...

Muitas nos visitam a boca, algumas ficam, tantas se vão: belo poema, Dade!

Assis Freitas disse...

as palavras são mais sábias em companhia do vento,


beijo

Úrsula Avner disse...

Oi Dade, é sempre um presente ler seus poemas... Bj.