sexta-feira, junho 01, 2012

Tranças

Às vezes,
quando o passado se trança com o presente,
as coisas se complicam
e nosso tempo acaba ficando assim,
meio em tiras,
o perdido e o ganho convivendo em uma paz aparente
que a qualquer momento pode se esfarelar
e fazer desandar a vida

7 comentários:

Bípede Falante disse...

Em tiras, tantas vezes desfiadas, e presas por frágeis nós.
Que bom que está de volta!
Beijoss

Assis Freitas disse...

"e qualquer desatenção..."



beijo

Leonardo B. disse...

[em tantos tempos entrançados,

nós;
o que resta dos nós...]


um imenso abraço, Amiga Dade
ou melhor um duplo abraço, pelo regresso!

Leonardo B.

Adriana Aleixo disse...

...e una trança desfeita não é algo aprazível, mas estamos aqui para tentar.

Bom tê-la de volta, Dadeflôr!

Beijo!

Daniela Delias disse...

Ei, minha poeta de volta aqui...nem imaginas o tum-tum-tum do meu coração!

Bjo, te adoro!

helen ps disse...

Eu me sinto tão recompensada pela poesia quando leio algo que me toca o coração e diz exatamente o que vai lá dentro e de forma tão bela. Esse poema é assim. Beijão Dade Amorim e obrigada por tornar minha tarde mais rica.

PAZ e LUZ

mfc disse...

Nada está conquistado... tudo é efémero!
... e fugaz!