segunda-feira, setembro 24, 2012

Conversão



             
    
Há momentos
em que os sentidos
gritam surpresas
como um mar
mudando o rumo
de suas correntes.
Uma outra vida
chega insuspeitada
e amadurece manhãs
de um sol ignorado.
Momentos
em que todo pensamento
gera o eclipse
e a nova luz
nos cega
irreversível
até o descobrimento
do que em verdade somos.

9 comentários:

Assis Freitas disse...

em verdade o que somos? eis


beijo

Loba disse...

bendita é esta conversão que para alguns jamais chega e em outros, cega.
belo poema, dade! beijo, saudades, carinho.

Leonardo B. disse...


[momentos

em que tudo se refaz,
como ao corpo uma nova pele.]

um imenso abraço, Amiga Dade

Leonardo B.

Bípede Falante disse...

Devem ser o mais difíceis mas também os melhores.

Beijoss

Aloísio disse...

Conversão é uma novidade em nossa vida, uma grata novidade.

Beijo.

Lara Amaral disse...

A luz só cega por aqui, só clarão sem rastro.

Belo poema.

Beijo.

Ivan disse...

Joia de poema, falando do que afinal nem sabemos bem se somos ou...

Beijos do Ivan.

Luiza Maciel Nogueira disse...

tão lindo Dade!
beijos

Caroline Godtbil disse...

Lindo... simples assim...!
Beijo.