quarta-feira, setembro 26, 2012

sem par

sentar
sentir
sem ter
servir
sem par
serzir

6 comentários:

Aloísio disse...

Não sei por que, esse poema me passou uma sensação de ceticismo. Mas é bem original e desiludido.

Beijo

Luiza Maciel Nogueira disse...

ser e vir :)

ser e tinir

beijos!

Daniela Delias disse...

Esta última imagem "sem par, serzir" é de uma beleza...

Bjo meu, minha poetinha.

Assis Freitas disse...

sarcire

beijo

Tatiana disse...

Se ausência pudesse ser cerzida com nós cegos...

Ivan disse...

Enigmático e ao mesmo tempo repleto de sentidos. Lindo poema"
Beijos do Ivan